Um viado véio, feio e pobre que ninguém quer…

Tudo o que eu falo as pessoas não levam a sério, não importância, por que? Um leitor desse blog me disse em resposta um post que eu fiz que ele acha que talvez eu tenha sido tipo a Rubi da novela em outra vida: branca, manipuladora, ambiciosa e um poder sexual gigantesco … Esse mesmo leitor citou uma obra literária onde uma travesti teria visto por meios ocultos que em outra vida fazia o inferno na vida dos homens, destruía famílias e usava de feitiçaria para obter os seus intentos, dona de uma beleza incomparável , conseguia o que queria, nascera novamente com essa mesma beleza efusiva em uma encarnação anterior a essa e cometera os mesmos erros que a Rubi na novela também cometeu. Então as coisas que coordenam , sabe-se lá como, a dimensão X, falou que ela nasceria nessa vida sendo viado e ninguém lhe daria importância, igualzinho a mim…

E pior que é verdade, eu por isso até desisti de andar conversando e mostrar o que eu penso no meio das pessoas: quando existe um grupo com mais de 3 cidadãos , eu sou aquela pessoa que tem que falar 4, 5, 6 vezes a mesma coisa antecedida por “heim” para alguém me responder, isso quando não me cortam! Nossa! O povo adora me cortar, as vezes eu estou falando sobre os detalhes de uma viagem ou algum processo científico complexo e chega um infeliz qualquer para falar passou mal e que ficou por isso cagando o dia todo no banheiro! Nossa! O povo todo pára para escutar os detalhes do cara que ficou defecando feito uma cachoeira no banheiro e eu fico a ver navios, falando sozinho, desconcertado, com uma cara de cu! Por isso decidi acabar literalmente com todas as minhas “amizades”. Deixem eles me chamar de antissocial , se foi o tempo de adolescente que eu queria lutar pela amizade dos outros, hoje em dia me permito ser livre e mal educado na cara dura mesmo, chego e não falo nada, saio e não falo nada, liguei “foda-se” no nível master. Eu deixo o caminhão descer sem freio a ladeira a baixo e não tou nem aí pra freá-lo! Se matar alguém, dizem que tem outra vida mesmo, acredita em Kardec e vida que segue!

Pois bem, eu noto com tudo isso que embora eu não tenha o mínimo resquício de poderio bélico-sexual que uma Rubi tem, eu sou planejado minuciosamente para afastar pessoas, principalmente homens, da minha influência.

Uma vez teve uma festa da empresa onde pediram(em empresa pedir é MANDAR) para eu ir na festa de confraternização, ok. Nessa festa os heteros vão meio que bêbados, perfumados e dispostos a tudo, inclusive trair as suas mulheres catando outras, como toda festa adulta, tudo se resume à procura de uma parceria sexual de forma velada. Os meninos sempre vão para essa festa, quando ela termina , lá pela uma hora da manhã, todos saem para irem pegar mulheres nas zonas de prostituição, ou seja, todo requinte e sofisticação de uma vida sexual poderosa centralizado num único evento de fachada “empresarial”.

Pois bem, eu feito besta me forcei a ir de ultima hora, tomei um banho e fui, nem me olhar no espelho eu olho pois eu me acho estranho, parecido uma tartaruga ou um ser réptil com um corpo que não combina com a cabeça, só de me imaginar eu fico até com vergonha de gostar dos rapazes heterossexuais que eu gosto, eles tão lindos, com uma sorte no amor filha da puta, cheios de mulheres e eu lá, todo feioso parecido um demônio sonhando em ter algo com eles, coitado de mim…

Aí lá foi eu pra festa às 22h , foi aí que eu fiquei triste mais ainda, todo mundo que foi, foi bem perfumado(a) , arrumadinho(a) e embelezado(a) para quem sabe, conseguir uma noite de orgasmos, e eles até conseguem sim, mas aí, eu reparei que o meu corpo parecia ser muito bem projetado para arruinar qualquer possibilidade de alguém me dar uma esmola sentimental: entrei numa rua errada e fiz um caminho maior, continuei pois adoro ruas e lugares desertos que lembram aparições de lobisomens, percebi que o meu corpo transpirava muito, muito mais que o normal, alguns espiritualistas até dizem que excesso de transpiração é gente que guarda muita emoção, que tem muita emoção represada e não revelada, isso eu tenho mesmo, afinal eu não quero ser morto a pauladas na rua por caçadores de homossexuais… Por mais que eu goste de um cara, eu já aprendi por vias muito tortuosas que me declarar só dá tudo que é tipo de coisa ruim, inclusive linchamento.

Pois bem, conforme eu fui caminhando rumo à festa, o meu corpo ficava suado, remelado, começava a feder rapidamente, pensei com os meus botões: Nossa! Parabéns! Quem me fez pra ser uma bicha encalhada e virgem caprichou nos detalhes mesmo! Comecei a notar que do nada, meu hálito começou a ficar cheirando merda! Mesmo eu tendo escovado a boca e ingerido alimentos depois, enfim, quem diz que o “universo conspira” ao seu favor é um grande filho de uma madre puta asteca! O universo inteiro, incluindo os quasares, os buracos de minhoca e o hiperespaço conspiram sim para eu me foder sempre! Se eu não quero me ferrar, eu tenho que ficar preso dentro de casa, mesmo assim é capaz um meteorito conspiratório estuprar a minha janela e entrar pra me sacanear se eu estiver vendo a foto de um cara que queria gostar.

Eu pensei comigo mesmo: pelo amor do satanás , eu devo ter jogado nutela com bosta de porco e pedra na cara de Jesus, na santa ceia, pra merecer isso, ainda por cima minha barriga ficou mais saliente do que o normal, sem falar que eu fico todo babado nas partes íntimas se ficar pensando nessas coisas de sexo ou se um cara que eu goste , ficar perto de onde eu estou, o meu corpo é uma fortaleza contra a possibilidade de qualquer pessoa querer algo comigo, as mulheres estupradas deveriam me levar para um laboratório pois eu tenho quase que certeza que os meu feromônios repelem homens por 11.000KMs.

Eu fico transpirando tanto que eu mesmo começo a ter nojo de mim, eu cheguei na festa todo com vergonha do desserviço que o meu corpo aprontou com requintes de perfeição para manter homens o mais longe de mim o possível. A sorte é que a festa era com luzes negras e telões, mesmo assim era visível o meu suor na testa. É… Nadinha, nadinha de Rubi mesmo em mim…

E tem mais, o meu cabelo, quando eu lavo, fica uma coisa horrível, parecendo que eu o esfreguei no ralador de coco e depois lavei com sabão em pó, horrível! Eu gostava de um maconheiro lá da Vila Mariana, ele tinha um cabelo tão lindo, forte, ondulado, bem pretinho mas o infeliz fazia dread pra fazer de conta que era negro! Putz que ódio! O cabelo daquele cara não precisava de nada , era perfeito mas ele zoava, eu comparava com o meu e dizia: nossa que lixo que eu sou! e ainda por cima quero homens top de linha, você não tem vergonha na cara não?
Se bem que na verdade, nem os caras feiosos me dão confiança!

Cheguei na festa, via alguns conhecidos mas quando eu tentava me enturmar com eles, logo eles inventavam uma desculpinha esfarrapada qualquer para se livrar de mim e desapareciam, entendi bem o recado!
Enchi um saco de comidas e petiscos da festa fui pra casa, foi a melhor coisa que eu fiz! Desse dia em diante eu prometi a mim mesmo que não iria mais nesses eventos, essas festas são tudo um pretexto pra homem pegar mulher e vice versa, é tipo as redes sociais. Se você nasceu que nem eu, para ser virgem por toda existência do sistema solar e seus planetinhas filhos da puta, você não tem que ir nessas merdas e nem ter redes sociais.

Mas aí eu fico pensando no que o nosso leitor disse: de eu ter sido uma putana, rameira e ambiciosa na outra vida passada, será que quando isso nos acontece não herdamos nem um pouco do poder da nossa realidade passada, nem um traço? Eu não sou ambicioso, não sou manipulador, não sou bonito, toda foto que eu tiro eu tenho que fazer um esforço monumental para não parecer abobado. Uma vez o cara que comeu minha mãe e que era um ano mais velho que eu , ele tinha 15 na época, me disse que imagina que eu era mongoloide na escola, ele pensava que eu era deficiente mental…

A única coisa que ficou em mim e que chama a atenção de 0,000001% dos homens são os peitinhos meus que são um pouco salientes devido a eu ter engordado a milhões de anos atrás, tirando isso, mais nada. Se bem que mesmo eu tendo peitos, sempre vem um hetero boçal dizer para todos homens onde eu estou que todo viado que dá também quer comer, putz! odeio que digam isso! Não tenho ninguém e os homens que chegam perto de onde eu estou, são aterrorizados com essas histórias que na verdade eu seria um comedor de homens disposto a comer todos! Arg! Que nojo!
Realmente boa parte dos gays que eu conheço fazem o papel de ativo e passivo mas eu não, quero ser apenas a mulher, a puta, a sórdida na cama, a vagabunda que gosta de apanhar na bunda de um macho nazista, eu quero é dar, mas os filhos da puta lá do mundo espiritual devem enfiar na cabeça dos machos, para deixá-los mais enraivecidos do que eles naturalmente são, que por eu ser feio e negro eu sou “comedor” e que eu quero “comer” eles. Que vulgaridade absurda! Na cama eu queria ser uma espécie de Sharon Stone na sua época de glória, não um macho comedor de outro macho! Que nojo!

E olha só o que eu sou hoje, um homem fedido, feio, com corpo desarmônico que parece um boneco de Olinda cruzado com a a Grávida de Taubaté e uma cara de tartaruga , quem que vai querer isso? Nem na cadeia me comem. Sei lá, a única coisa que poderia atrair alguém pra mim é o meu jeito de boboca e os meus peitos salientes, talvez isso me atraísse um psicopata cadeeiro, gente psicopata gosta muito de gente trouxa pra explorar, vai que cola eu me fazer de pessoa trouxa pra ser comido por um, complicado é me livrar dos problemas causados por uma desgraça dessa depois…

Pois é, onde então foi parar a minha ambição desmedida, o meu asseio, a minha inteligência e a minha personalidade forte se eu fui a Rubi? Não sobrou nadinha nadinha dela?

Na minha escola eu sempre fui aquele cara da classe que virava com facilidade o cristo da sala, sabe, eu agradecia muito quando alguém tomava esse posto de mim, desde muito pequeno eu já sentia nojo da sociedade , nojo de me enturmar com as outras crianças , sempre fui muito seleto, nunca fui “do povão” mesmo sendo muito miserável. Nunca me senti feliz numa sala de aula, nunca tive vontade de me juntar , talvez pelo fato de saber que nunca eu teria a possibilidade ser feliz sexualmente, isso tira um dos principais amortecedores da vida, o sexo, se você não pode ter os seus anseios básicos atendidos, você não quer ter mais nada. É tipo querer fazer faculdade quando se tem fome todos os dias… Não rola! Os nossos instintos básicos precisam estar minimamente satisfeitos para você querer galgar coisa maiores. É como se faltasse uma peça em você!

No meu trabalho eu nunca fui promovido pra bosta nenhuma, mesmo tendo épocas que eu fazia coisas que ninguém tivesse disposição para fazer. No meu emprego, todo mundo todos os dias sobe de cargo e eu fico muito envergonhado pois eu estou sempre lá, na mesma posição, me dá uma vontade enorme de chorar mas eu sinto que não tenho gana e força pra disputar nada com ninguém, qualquer vagabundo de 13 anos ganha de mim em tudo, eu fico besta! Em tudo eu sou superado! Onde está o meu lado Rubi nesse caso?

E a pobreza? A pobreza sempre foi uma coisa que também me feriu a vida inteira, não tanto como a miséria sexual mas também me feriu! A vida toda morando em malocas, cortiços, lugares cercados de gente drogada, doentes, moradores de rua, criminosos e traficantes, sempre, até hoje é assim! Quando eu olho para um mendigo eu digo que só não estou igual a ele devido a empresa que eu me encontro trabalhando até hoje, se não fosse ela, eu tenho até medo de pensar… Sem falar que eu não estou mais na idade de conseguir emprego fácil, tenho arrepios só de pensar quando vão me mandar embora.

Quando eu era criança, eu não assumia a minha pobreza: eu as vezes tinha alguns coleguinhas de classe média baixa e eu tinha raiva pela vida não me dar o que eles tinham, quando eles vinham da escola comigo, eu parava na porta do primeiro prédio de luxo que eu via , sentava nas escadas do local e fingia ser ali a minha moradia mas a portaria não abria a porta pra mim… Meus colegas se distanciavam e eu ainda ficava sentado na escadas , quando eles estavam bem longe, eu fugia correndo para a minha casa real que sempre era uma casa abandonada, sem água, sem luz, cheirando lixo , fezes e gás vazando misturado com cheiro de café. A pobreza tem cheiro e é de gás vazando, fezes secas, mijo, pasta de dente e café, tudo misturado!

Uma vez eu e minha mãe fomos morar num prédio ocupado pelo movimento dos Sem Tetos, nesses movimentos de luta por moradia, todos trabalham de forma comunitária, todo dia um tem limpar alguma coisa e fazer alguma tarefa, geralmente ligado à limpeza ou segurança e ordem, o local era cheio de adolescentes bonitos e feios, homens de todos os tipos, com várias histórias, gente que a vida derrubou, pessoas doentes, enfim, os excluídos da sociedade, eu estava no lugar certo… Teve uma época que eu achei aquilo muito triste e fui morar no meu emprego, depois voltei, fiquei a imaginar com quais daqueles adolescentes minha mãe já não havia transado? Era impossível ela não ter dado para algum pois todos eram na maioria bonitos, amalandrados, andavam sem camisa sendo que nos prédios ocupados existem milhares de buracos , garagens e áreas abandonas e escuras onde transar não seria nada complicado, ainda mais com adolescentes dispostos a tudo. Muito desses adolescentes me olhavam com cara de quem estivesse comentando de mim ou me julgando, claro, eles deviam rir que falando que minha mãe era uma puta deles e eu não sabia nada. Eu não queria me misturar com ninguém, quando aparecia uma tarefa, eu dava dinheiro para a minha mãe dar para alguém fazer em meu lugar, as pessoas me confundiam isso com arrogância quando na verdade era depressão, depressão por estar rodeado sempre por um monte de gente que me atrai e não poder fazer nunca nada. Uma vez a líder do movimento até chamou atenção da minha mãe por minha conduta mas enfim, fomos levando, eu não tinha nada contra a líder do movimento, até mesmo a admirava como uma boa líder, sentia até certa simpatia por ela como pessoa mas a imagem que fazem da gente quando não vivemos com os dentes pra fora por sermos felizes sexualmente, é péssima! Só sei que não fomos parar no olho da rua a ponto de virarmos mendigos graças a esse Movimento dos Sem Teto, mesmo assim, vira e mexe havia a ameaça da polícia nos despejar. Enfim, uma vida sempre oposta do que eu sempre sonhei. Quando eu vejo lugares como os da Rua Franchubert, o Panamby, o condomínio Cidade Jardim e o Jardim das Perdizes eu quase choro por ser exatamente os lugares que eu gostaria de morar mas não sabem nem o que eu poderia fazer para ter a capacidade de bancar o preço que eles nos impõem, eu não me vejo tendo força, talento o alguma forma de ganhar dinheiro para morar em lugares assim, por isso eu fico depressivo e começo a chorar.

Uma coisa pode estar ligada a outra: não tenho força porque não tenho minhas necessidades animais satisfeitas, sem essa força não tenho ânimo para estudar e conseguir algo melhor, tenho preguiça de tudo , minha mente é fraca, quando tento estudar começo a enjoar, tenho déficit de atenção, perco a memória das coisas rapidamente, não gosto de competir e só penso em morrer, por isso, eu não consigo ter o poder material para conseguir morar nesses lugares dos deuses na terra, se bem que nem quem é normal muitas vezes consegue, o que dirá eu, um fraco.

Por isso vivo até os dias de hoje, igualzinho o fim do personagem Rubi, nem mais entre o Movimento dos sem Teto eu estou mais : agora vivo num lugar feio, imundo, com som alto de forró até as 5 da manhã, barulho de gente transando, paredes que eu escuto tudo o que o vizinho sem noção faz, a noite não posso sair sobre pena de ser abordado por toda sorte de pessoa querendo algo dos meus bolsos, o meu único luxo é a Internet.
Minha mãe agora vive cheia doenças que eu não tenho como pagar tratamento, todos os dias ela arruma uma doença nova e eu nem ligo mais, não posso fazer nada, e assim vamos vivendo, nem mais banho eu tomo todos dias, cansei dessa vida, se é pra ser fedorento e repelir todo mundo, que seja assim então até as ultimas consequências.

6 thoughts on “Um viado véio, feio e pobre que ninguém quer…”

    1. Olá! Whatsapp drena qualquer tipo de interesse em conversa, você vai lá, pergunta à pessoa o que tem dúvida , cansa e nunca mais quer falar com ela, além disso, seria uma concorrência de foco entre site e whatsapp, por isso, por enquanto eu não pretendo fazer isso.

  1. muito triste… e aposto que muita gente não comenta pq não tem mesmo o que te dizer, só que vc é um escritor mto bom, já pensou em formatar algo e mandar pra uma editora?

    1. Muito obrigado. Tenho dislexia , não consigo terminar frases ou coisas que exijam uma linha de raciocínio coerente como um texto sem muito esforço, eu erro em coisas bobas. Mesmo assim obrigado.

      1. Não sei, acho que vc ja tem bastante material poderia organizar eles numa linha que nao precisa ser cronologica mas por assuntos, enfim, acho q existem pessoas que podem lhe ajudar com isso, pensa bem, sua história dá um filme, uma serie muito interessante e polemica mas precisa ser mais conhecida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *