Meus medos …

Eu tenho os meus medos como qualquer uma pessoa que passa pelo o que eu passo deve ter. Hoje eu estava andando na rua para comprar algo para comer , vi um mendigo em estado bem precário e fiquei pensando comigo mesmo: Será que eu irei acabar da mesma forma que esse ser humano? Será que lá no hipotético mundo dos mortos (dimensão x) eu já teria acertado esse fim?
Eu não sei , só sei que no meu pequeno emprego, vira e mexe o meu superior diz que o meu desempenho não é bom, as pessoas no meu emprego me cobram não pela qualidade do meu serviço mas sim forma de máquina infalível que eu deveria produzir, tipo um coelho, um robô acelerado, hoje em dia no Brasil a correria vale mais do que um rechamado ou um serviço com qualidade, trocando em miúdos , parece que todo mundo quer que você trabalhe como se fosse um funcionário daquelas famigeradas lanchonetes de marcas americanas que todos já conhecem bem…
Aí você não consegue ser assim, tipo um atendente de pastelaria / hamburgueria , no outro dia os seus superiores começam a te comparar com aquele maldito cara heterossexual, feliz, que trepa , que fode normalmente, que tem amigos, que tem estima por ser quisto e que por isso desempenha as suas funções de forma muito mais rápida e eficiente, pelo menos é o que dizem, afinal você não tá lá vendo realmente se o serviço do outro saiu nas coxas ou realmente o cara tem o pacto com o demônio e com isso consegue chupar cana e assobiar sendo o cara mais fodástico do universo.

Pois é, a minha profissional vive esse dilema, ou eu sigo a linha de produção nos moldes chineses (uma coisa atrás da outra sem vacilar) ou vou ser comparado os milhares de pessoas heterossexuais felizes que me devorariam em termo de agilidade, claro, heterossexuais são mais produtivos porque são mais integrados à sociedade e porque querem realmente viver para terem uma vida que os recompensa por algum tempo com muito sexo, amor e amizade, existe um esforço e uma recompensa social. Sem falar que um ambiente de trabalho pra mim, dono desse pequeno blog e para um heterossexual que fica bebendo e jogando futebol o dia todo são coisas completamente diferentes: para um heterossexual assim, o emprego é um lugar que entre outras coisas você pode encontrar o seu grande amor ou pelo menos ter garantida a sua trepada escrota do século com um homem ou uma mulher casada que cansada do que tem em casa, quer ainda explorar as possibilidades oferecidas no emprego. Já pra mim, o gay do blog, trabalho é literalmente trabalho, eu não vou no trabalho para arrumar ninguém pra namorar ou se quer transar, eu vou já sabendo que ali é só lugar de fazer tarefas remuneradas , nada mais. As aquelas outras coisinhas, são só para as suas “amigas” e seus colegas, não para você que é gay heterófilo. Como você acha que alguém vai ser produtivo em pé de igualdade com alguém que enxerga o trabalho como um potencial provedor de pessoas para se levar pro motel? A pessoa que fode mais é mais produtiva porque é feliz, aos pobres se dá o pão e o circo ,e o circo do pobre muitas vezes é o sexo. Existem gays muito produtivos, sim existe, até tem uns lá onde eu fico, mas eles são diferentes, eles dizem se sentir atraídos por pessoas exatamente igual a eles, tipo irmãos gêmeos ou pai e mãe, eu no entanto não, fico atraído apenas por pessoas que contrastam comigo e que funcionam como um complemento, a mecânica biológica da maioria dos seres parece conduzi-los a gostar no outro aquilo que lhes falta, biologicamente até me parece razoável essa ideia, afinal, nenhum genoma se pudesse pensar, iria querer se juntar a algo mais fraco para no futuro deixar de existir, sei lá, isso é uma ideia maluca minha.

Eu também ando notando um outro medo: as vezes eu estou andando na rua e de repente eu passo por algum rapaz hetero que é atraente, ele para alguma coisa que estava fazendo e percebe que instintivamente eu estava olhando pra ele, imediatamente eu baixo os olhos fico constrangido e com medo, afinal, mesmo eu me atraindo por homens, eu tenho motivos suficientes para associá-los à infelicidade, humilhação e confusão. É confuso, eu gosto de homens mas eu não gosto deles, sei lá, é confuso mesmo, eu me atraio mas sei que infelizmente dali só vem coisas ruins, negativas e que ferem a minha dignidade. É como gostar de um alimento que lhe faz mal. Hoje na rua eu estava passando em frente a um desses barzinhos de classe média, cheio de madames brancas com os seus cachorrinhos delicados , cercadas por machos velhos e novos também da mesma classe social, me senti um ET, menos à vontade do que na Alemanha até, sem querer eu me vi olhando para um rapaz que estava sorridente conversando com sei lá quem dentro de uma lojinha, eu nem estava olhando aquele rapaz com intenção de querer algo com ele, foi automático, quando vi, eu estava olhando pra ele como se estivesse olhando para um poste ou um carro chamativo qualquer, foi sem intenção, de repente , parece que o demônio, o satanás sai e vai lá no ouvido dele contar que eu tava olhando, ele para de conversar, começa a frear o seu sorriso frenético e me olha percebendo que eu já estava o olhando antes… Fiquei constrangido e bruscamente baixei os meus olhos, feito uma mulherzinha, e é claro, com essa baixada rápida de olhos que eu dei, com essa disfarçada brusca, qualquer cara heterossexual percebe que você é gay e daí coisa boa é que ele não irá lhe desejar. Ultimamente isso me anda acontecendo muito com caras loiros. Isso me faz ficar triste, triste por me sentir um marginal, um sujo, um criminoso com um crime muito sujo nas costas a se esconder, a vontade de dar afeto que eu tenho à determinadas pessoas infelizmente tem que ser reprimida sobre pretexto de se evitar coisa pior. Eu adoraria trocar olhares simpáticos com quem me inspira alegria e afeto, mas eu não posso, por isso eu me sinto muito mal no meio das pessoas, nos bares, nos locais públicos, eu tenho sempre que fingir, me recalcar, me obrigar a não gostar de homens, por isso eu me sinto muito seguro com a energia masculina. Dá medo!

Vejam só essa minha experiência de pavor com homens: Uma vez estava andando tranquilamente na dr Veiga Filho com a Av Angélica em São Paulo, de longe eu vi que estava vinham pra minha direção um monte de rapazes falando entre si, fiquei apavorado pois homens jovens e brasileiros são extremamente homofóbicos , ainda mais quando estão em grupo, se você é gay, apanha fácil nessa situação e ainda vira motivo de piada e diversão de quem passa. Pois bem, eu fiquei em estado de alerta máximo com aproximação daqueles jovens, conforme foram se aproximando vi que eram todos muito brancos, tive mais medo ainda pois pessoas assim tendem a achar que você é assaltante só pelo fato de ser negro e pobre, mas aí , conforme eles foram se aproximando, eu evitei olhar nos olhos deles e comecei a olhar de forma mais indireta, mais pra baixo, foi aí que eu notei algo estranho neles, todos usavam shorts claros, então quando eu vi, no auge do meu pavor, eu já estava no meio deles, foi aí que eu me me senti SUPER ALIVIADO ao olhar nos rostos deles todos rapidamente e ver que eram todos gays, o modo de falar, os assuntos, o jeito de olhar deles eram completamente diferentes daqueles heteros selvagens, eu senti uma energia competição, inteligencia e um certo receio por minha cor, mas não senti nenhuma hostilidade por conta da minha pobre sexualidade(se é que tenho alguma) , imediatamente senti uma culpa, uma tristeza por não me atrair afetivamente por gays como eles, a energia deles é tão mais aberta, doce e fraterna a mim, seria tudo tão mais fácil , com outros gays, no máximo eu seria humilhado intelectualmente mas nunca eles me derrubariam no chão e começariam a dar bicudas na minha cabeça como aconteceu comigo na Vila Mariana. No meio dos gays eu sinto que não sou só mais um, no meio dos gays eu sinto que muitos me olham e me dariam atenção, mas infelizmente, com toda injustiça da terra, eu não sinto nada por eles, eu tenho até vontade de chorar por causa disso, é triste, eu me sinto aquelas mulheres que largam a possibilidade de casarem com um homem honesto e que trocam isso para se entregarem a um vagabundo criminoso que não vale nada, com os gays eu teria uma vida bem mais aceitável em termos afetivos, poderia ter amigos e até mesmo morar com alguém, já com os heteros eu me sinto aquela criança chata que está sempre atrapalhando os adultos e que ninguém quer por perto. Pelas mulheres eu me sinto usado, manipulado e vampirizado, já pelos homens eu me sinto um estorvo, aquela coisa que só atrapalha e que ninguém quer perto, tipo quando você é muito ingênuo e vai dar uma opinião a alguém muito importante que finge acolher sua ideia mas que descarta o que você falou na primeira oportunidade que tem, é assim que eu me sinto no meio de homens heteros, me sinto hostilizado e humilhado.

As pessoas dizem nas experiencias de quase morte que a nossa missão pessoal na terra tem muito a ver com as características do corpo que você “escolheu” ter, é tudo combinado, por isso eu fico equacionando: qual seria a missão natural que uma pessoa com poder produtivo e cerebral baixo, nascido como homossexual , negro , pobre e filho de uma prostituta teria que fazer num mundo que valoriza tudo o que lhe é oposto??????????????
Bom, a conclusão a que chego e que pode ser errada é que a melhor missão para ser desempenhada por tal “configuração” seja a humildade. Afinal, naturalmente e sem nenhum esforço, eu sou levado pelo contexto biológico e social em que me enquadro a ser uma pessoa que NUNCA teria condições materiais de humilhar , pisar ou acabar com a vida de uma pessoa! Seria praticamente impossível eu nascer dessa maneira e conseguir não ser humilde com alguém, se eu tentasse o contrário, eu seria rapidamente atacado moralmente a ponto de ficar desestabilizado pois me fariam lembrar que minha mãe é prostituta, que eu tenho pouco estudo, que eu sou fui ruim na escola e no trabalho, que minha mentalidade é fraca, que eu sou feio , gay , virgem e que ninguém me quer. Veja, mesmo que eu não quisesse ser humilde, o meu “hardware” parece me prender todo para ser justamente humilde. Eu não tenho o intelecto forte a ponto de fazer 2 faculdades, cursar 4 línguas e morar fora do Brasil como eu sei que muito gay tem, logo eu não posso virar as costas para ninguém ou para o meu emprego acreditando que EU ME BASTO, existem pessoas fodásticas assim, mas eu não sou uma delas, nem a tabuada do 3 em diante eu sei, matemática me dá ânsia de vômito e dor de cabeça se eu começo a me forçar a entendê-la.
Eu também não posso humilhar nenhum homem, graças a eu ter tido uma mãe mulher da vida, quem que vai se ofender com uma ofensa desferida por parte de um filho da puta literalmente? Ninguém nem liga!
Eu também não posso humilhar ninguém por sua raça ou pelo lugar onde nasceu, afinal eu sou negro e seria respondido à altura rapidamente.
Eu também não posso me sentir o TAL por eu ter uma beleza exuberante, sou feio feito uma tartaruga, logo eu não teria chance de tripudiar com os sentimentos de alguém de forma eficaz sendo tão bizonho como eu sou. Todas essas características me põem uma pá de cal em qualquer chance remota de eu ascender ao poder, por isso fica quase que comprovado que a minha missão é tratar todo mundo muito bem para ver se eu ganho algumas migalhas, afinal, se uma pessoa nasce como eu e não faz o mínimo esforço para ser agradável e humilde, ninguém vai atrás mesmo e eu morro de fome porque ninguém naturalmente quer chegar perto de mim. Eu ser arrogante nessa situação seria um suicídio, seria a mesma coisa de um mendigo ser arrogante e metido, é inviável, afinal o mendigo vive de ajudas. Por isso eu creio que se existir vida depois da morte e missão pessoal, a minha me empurra contra o meu gosto ou não para ser humilde na marra, a pulso!

Por isso eu tenho muito medo de acabar virando um morador de rua quando esse meu atual emprego me mandar embora, eu morro de medo disso pois eu já vivi e sei como é essa situação: o despejo chega e Deus, diabo, simpatia , deuses, livro de autoajuda nenhum de livra da situação, todo os dias você acorda com uma sensação que será predado por algum animal selvagem e que não existe nenhum local seguro para você se esconder. E aí você perde o pouco que tem e se sente deprimido, a sua antiga empresa lhe faz brotar um sentimento muito recorrente por parte da sua sexualidade, o DESPREZO! Une-se o desprezo que você sofre na vida afetiva e junta com o fato de você ter sido mandado embora, dá a impressão é que todos os funcionários daquela empresa são ao mesmo tempo aqueles heterossexuais lindos que lhe dão vontade de se suicidar, o sentimento é o mesmo: Ninguém me quer! Ninguém precisa de mim! É sensação que um filho pequeno sente ao ter uma mãe que simplesmente se enjoa-se dele e o larga num aeroporto desconhecido para se ver livre dele. “–Vou ali comprar um doce pra você… Me espera!” E nunca mais volta!

A sensação de procurar emprego então, é outra coisa horrível, é a mesma sensação de dar murro em ponta de faca! É a mesma sensação de ser homossexual como eu e dar em cima desses jogadores de futebol lindos. Você sonha mas algo dentro de você sabe que NUNCAAAAAAAAAAAAAAAA , nem daqui a 300 reencarnações você poderá te-lo!

Sabe, as vezes eu acho que essa vida pode ser uma grande manipulação virtual de nós mesmos, tipo um videogame de almas, e que essa vida sexual rica e boa que os heteros têm, os ‘ajudam’ a ficarem mais presos nesse jogo horrível ou nesse planeta maldito, onde tudo é predatório, o fato de eu ser um personagem totalmente rejeitado nesse jogo me força a não quere-lo jogá-lo mais, isso pode ser bom, afinal, de repente quando eu estiver morto, eu posso me lembrar que ninguém no planeta me ama, que não será permitido eu ser alguma coisa relevante aqui pelo visto, por tanto, eu vou ter mais forças, acredito eu, para não cair no papinho dos manipuladores e escapar o mais brevemente desse planeta de “amor” maldito que eu habito. Enquanto isso, heteros como Leonel Messi que devem ter uma vida sexual gigantesca, monumental, vai ficar reencarnando direto nessa merda de mundo várias e várias vezes, afinal, quem não tem uma vida idiota como a minha aqui, quer voltar sempre. Quando eu morrer, eu só não peço para esquecer que vivi nesse planeta apenas para ter uma garantia de não me mandarem de volta para ele, só por isso. Eu quero fugir o mais depressa daqui, afinal eu estou ainda podendo me mexer e ganhando uma merreca, mas o mundo está cada dia piorando, então o melhor é morrer e se mandar daqui agora. Quem gosta dessa bosta e ama falar que a vida aqui é uma bença de Deus, que reencarne aqui mais um bilhão de vezes , mas eu? Eu não!
Quero vazar antes que piore ainda mais!

3 thoughts on “Meus medos …”

  1. Também tenho medo do futuro, fico muito ansioso e angustiado quando penso, então, procuro não pensar kkkkkk É rir pra não chorar
    Meu caso não é tão extremo quanto o seu. Digo, eu também me sinto MAIS atraído por héteros, sem sombra de dúvidas… Porém, eu já me senti atraído por alguns gays. Gays bonitos ou ricos demais pra mim, então nunca rolou, não fui abençoado com beleza, nem dinheiro. Porém, ainda tenho a esperança que eu encontre alguém, não sei…
    Fico pensando, se um hétero qualquer me desse bola eu aceitaria ele de qualquer maneira, não iria me importar com classe social, intelecto, beleza. Desde que ele me quisesse por quem eu sou, sem rolar dinheiro, ou qualquer outro tipo de interesse, só de estar com um HOMEM eu já estaria mais do que satisfeito. Agora, veja só as mulheres, elas exigem que o cara seja bonito, tenha um bom emprego, carro, tudo… Se elas soubessem a sorte que tem.
    Aff, é triste demais essa vida. Enfim, boa sorte amigo, para de ficar pensando nessas coisas, por mais inevitável que seja, pq do jeito que temos sorte, vai acabar atraindo kkkkkkk

    1. É verdade, sorte não é uma das nossas maiores virtudes…
      As mulheres eu já não sei o que pensar, elas exigem tanto de um homem e depois pedem leis para evitá-los. Já vi gente falando que no sul do país tem projeto de lei querendo criminalizar a “cantada”, enfim, essas mulheres que propõem isso deveriam fazer um estágio na terra de 130 anos nascendo como nós…

  2. “Quando eu morrer, eu só não peço para esquecer que vivi nesse planeta apenas para ter uma garantia de não me mandarem de volta para ele, só por isso. Eu quero fugir o mais depressa daqui, afinal eu estou ainda podendo me mexer e ganhando uma merreca, mas o mundo está cada dia piorando, então o melhor é morrer e se mandar daqui agora. Quem gosta dessa bosta e ama falar que a vida aqui é uma bença de Deus, que reencarne aqui mais um bilhão de vezes , mas eu? Eu não!
    Quero vazar antes que piore ainda mais!”

    Uau isso foi poético!

    sinto a msm coisa q vc! mais uma vez amei esse texto!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *