Lugares que me causam o recalque forte…

Desde pequeno eu sempre tive vergonha de morar em malocões, já a minha mãe, sempre que falo de lugares bonitos ela vem com um papo deprimente de procurar cortiços abandonados para morar, até hoje é assim, ela sempre me puxou para assuntos e situações deprimentes, a vida toda.

Eu desde pequeno ficava fingindo para os meus colegas morar em condomínios que nem daqui a 14 encarnações eu terei dinheiro para ter.

Hoje em dia tem muitos lugares que eu passo em frente e que ainda me despertam o meu recalque, eu olho esses lugares e fico pensando alto:
–Me diz espiritualidade, como eu seria se morasse nos Jardins das Perdizes, ali perto do Palmeiras?

Prédios na cor de creme , decorados com vidraças verde e cercado de seguranças, um condomínio caríssimo que só os deuses da heterossexualidade podem transar para ter uma vida boa e ter, salvo raras exceções. Ali no jardim das Perdizes têm muitas pessoas de classe média alta praticando cooper vestidas com roupinhas vagabundas.

Como eu seria se morasse num lugar assim e fosse e fosse uma mulher heterossexual? Eu seria ruim? Cruel? De tanto me falarem sobre os motivos de eu ser gay nessa vida, começo a imaginar que se eu fosse hetero eu seria um monstro… Sei lá… Eu linda, hetero, dona de meu nariz morando num lugar rodeada de torcedores e jogadores do palmeiras?

Será que seria ruim ou bom para a minha espiritualidade(se existir) eu ser hetero, de classe média alta e morar cercada de mauricinhos do Palmeiras? Não sei, só sei que ao olhar esses prédios eu sinto uma energia predação, autoritarismo, poder, materialismo, crueldade e conforto. Sei lá, de repente eu moro ali, faço o diabo e depois morro, descarto e fico me sentindo culpado pelo o que eu fiz e peço pra nascer morador de rua ou cortiços como eu sou hoje. Agora fiquei cismado com essas coisas.

Outro lugar que me desperta a cobiça são os prédios da rua Franz Schubert com aqueles jovens lindos, cheirosos e com carros possantes esportivos. Nossa! Me dá vontade de cair em tentação (coitado de mim)

Esses são os estilos de prédios que eu chorava por eles quando eu era criança, queria morar em um deles mas morava num malocão cheio de moscas e com cheiro de bosta seca, pasta de dente, café e vazamento de gás, todo lugar de pobreza tem esses cheiros e aqueles malditos sons autos. Certamente eu não teria essa vida desbotada que eu tenho hoje se eu fosse hetero e morasse nesses locais dos deuses na terra, as pessoas me chamariam no whatsapp, telegram , e-mail e redes sociais o tempo todo, todo mundo iria querer transar comigo, as pessoas dariam importância ao que eu falo, ao que eu penso, eu não precisaria me esforçar 4 vezes para falar alguma coisa e ser escutado como acontece hoje, todos me escutariam no primeiro esboço de falar que eu tivesse, viver assim que é gostoso gente!

Morar em prédios como esses da Franz Schubert exige que o seu cérebro seja muito possante, conheça 40 línguas, tenha 16 faculdades, tenha 32 pós graduações e estude lá fora, enfim, eu mal tenho disposição para decorar uma tabuada que não seja a do dois, quanto mais ter toda essa bagagem cultural, ainda mais na idade em que eu me encontro. Como eu sou muito curioso do oculto eu fico pensando: o que essas pessoas que conseguiram ser hetero, morar nesses locais que eu falei, serem bonitas, escolheram no período entre vidas? Qual é a missão delas? Não tem espíritos que as atrapalhem também? Eu vejo cada jovem lindo saindo desses prédios, são verdadeiros deuses perto de mim, um vermezinho. O que eles conhecem aos 11 anos eu não irei conhecer nem com 120 anos de vida, incluindo o sexo.

Ah meus caros, como é triste você viver desde pequeno em lugares que mais lembram um ralo de banheiro, com a mãe na zona, cercado de bandidos, drogados, pessoas doentes e gente sem perspectiva de vida igual a você e de repente você passar por lugares como o Jardim das Perdizes e a rua Franz Schubert, você para com aquele sol quente na cabeça e sente uma sensação de quem está dando murro em ponta de faca na vida, sabe aquela sensação de você poder fazer tudo o que quiser que a sua vida não mudará pra algo um pouquinho melhor? Pois é , é assim que eu me sinto ao ver esses prédios, tudo bem que eu sinta uma energia predadora vinda deles mas que deve ser delicioso para você e o seu ego morar em lugares sofisticados assim, isso deve ser.

Mas voltando pra minha bosta de realidade, os lugares que eu moro são nesse estilo desse vídeo abaixo ou um pouquinho pior, sempre com esses menininhos chamativos que irão virar sapatonas na outra vida, eles tudo comendo a minha mãe sem eu saber, enquanto eles implicam comigo por eu nunca me misturar a eles, claro, eu não sou malandro, não sou macho, não me sinto bem querendo fazer essas machices tóxicas que eles fazem pra tudo, sim, a minha vidinha é cercada de pessoas assim que nem no vídeo abaixo, pelo menos eles são ricos/milionários em uma coisa: no sexo. Eu nem isso tenho. Tem uns que dão até sorte de se destacarem no Youtube fazendo essas cantigas de mau gosto, mas enfim, o mundo é deles e pra eles, pobres ou ricos mas heterossexuais transantes, no vídeo tem até um pombo voando sobre o lixo pra dar aquela caprichada na miséria,
o meu ambiente, parece o gueto de Varsóvia pintado de amarelo:

Todo lugar que eu morei na minha vida era exatamente igual ao gueto de Varsóvia, só que com noia e gente doida e mulher gritando com criança catarrenta no lugar dos judeus, vai ver que é por isso que eu gosto da Europa.

Tem até um cara de camiseta branca , bermuda jeans , tênis e mecha cor de ratazana que dança em 1:55, o carinha se sente, como todos heteros que eu gosto , até parece-me interessante, mesmo assim nesse esse zé droguinha não iria me querer, mais um que vai nascer sapatona na outra vida. Quando eu me imagino gostando de caras assim, no mesmo nível social que eu, ok, eu até gosto, mas seja lá quem for, do jogador alemão que eu gosto hoje , até o zé droguinha do clipe de um lugar que parece o rascunho do mapa do inferno em braile , todos são unânimes em gostar da minha alma e detestarem o meu corpo, somando tudo, eles me odeiam mas pegam a minha mãe.
Que vida lixo!
Ai! Tira minha vida Jesus!
Me cancela nessa bosta!
Finge que eu não tinha que nascer, vai e me tira desse chorume!
Por isso que penso em “espiritualidade”, é pra me anestesiar da vida
merdinha podre que eu tenho, eu sou aquela mosquinha
de banheiro, sem futuro algum e que nunca será algo para o universo, essa mosquinha sou eu

o escritor desse blog

7 thoughts on “Lugares que me causam o recalque forte…”

  1. Voce nao precisaria ser mulher, nem bonito pra ter tudo isso que quer, so precisa ser rico. Dinheiro e tudo. Conheco gays ricos que heteros se humilham por eles. Por dinheiro e interesse? Claro! Mas pelos menos transam com homens de verdade, por interesse ou nao. Por isso, meu maior desgosto e ter nascido pobre nesse pais de merda.
    So se e feliz sendo gay, quando voce tem dinheiro. Pobreza e viadagem juntas so resultam em tristeza.

    1. Sim é verdade, as vezes eu penso: ok, eu sou um gay diferente mas pelo menos eu poderia ter a minha riqueza facilitada. Mas vai saber o quão chatinho eu seria, sei lá, deixa pra lá…

    2. É verdade. Fora que o dinheiro pode te ajudar a mudar muitas coisas que você não gosta em si mesmo. Já seria uma mão na roda.

        1. Mulher com essas características que vou escrever pode nascer pobre não ter o que vestir se quer uma peça, morar em um mausoléu que vai se dar bem na vida nem precisa fazer sequer um esforço; exemplo mulher loira de olho azul com um corpo magro porém delicado tipo Ariana Grande, com uma bunda avantajada e um peito não muito grande porém durinho e bem formado, ter personalidade delicada e ter um humor bom dar umas risadas tipo meio tímida porém malicioso, colocamos essa menina idealizada na vida real sendo de extrema pobreza tendo seis 18 aninhos, na primeira saida dela pra rua chove de olhares e apartir dai as oportunidades são infinitas de dar certo na vida

          1. É verdade, a vida brilha pra que tem buceta, ainda mais se acompanhar um corpo interessante e uma personalidade simpática, cabe às portadoras aproveitarem. Mas não, as dondocas ficam fazendo lei pra considerar até assovio como estupro, devia tudo nascer viado pra aprender.

          2. Verdade. Isso me fez lembrar de uma história. Numa faculdade que fazia havia um menino lindo e malhado de um outro curso que tinha disciplinas em comum com o nosso. Dizia ter namorada e as meninas ficavam babando, mas desconfio que ele a traiu com uma aluna do meu curso.

            Certa vez essa namorada apareceu e fiquei em choque. Ela era gorda (tipo obesa), feia da cara deformada parecendo o fofão, falava com uma voz fina de retardada e ainda agia com uma autoridade sob ele que me revoltava.

            Não foi a primeira vez que vi casais héteros assim. Impressionante como eles mesmo lindos se humilham por qualquer bosta que tenha buceta. E eu que me considero feio, porém nenhum demônio assim não sou digno deles por ter corpo de homem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *