Fala-se muito no estupro e pouco no desprezo

Como o estupro afeta a saúde mental das vítimas , isso é amplamente explorado pela mídia que é machista ao mesmo tempo que ela fica fazendo um mea-culpa pra dar uma de feminista sem ser.

O estupro , assim como qualquer invasão à dignidade , abala a saúde mental de qualquer pessoa mas o estupro dá mais audiência e popularidade entre as mulheres , por isso a mídia explora!

Agora você já viu os meios de comunicações falarem de como a saúde mental de um indivíduo fica após ser renegado, desprezado e visto à margem da sociedade como uma pessoa nociva e portadora de tudo que a sociedade procura evitar? Ainda mais em um meio onde todos nós hoje em dia temos que fingir sermos pessoas altamente produtivas, eficazes e admiradoras das ‘correrias’ nas empresas que querem agarrar o mundo com as pernas sem preparo e qualidade para isso?

Como fica a saúde mental de uma pessoa com mais de 50 anos que todas as vezes que foi tentar se relacionar com alguém, independente do seu relacionamento almejado ser considerada adequado ou não, teve só frustração?

Como funciona uma pessoa que a vida inteira foi cagada na vida afetiva? se é que podemos dizer que uma pessoa assim teve vida afetiva? Uma pessoa assim , que sofreu o mais absoluto desprezo por mais de 50 anos tem ou não a sua saúde mental mais corroída do que uma pessoa que foi estuprada, uma vez e que por conta disso boa parte da sociedade fica favorável ao segundo caso.

Se uma pessoa fala nos meios de comunicação que foi estuprada , gera grande comoção e ganha ferrenhos defensores. E uma pessoa que foi desprezada e que apanhou na cara a vida toda, se falar isso na mídia ganha o que? Risos, graças e ainda jogam na nossa cara que somos “mimimi” que somos vitimistas e que toda culpa disso é nossa, somos infelizes porque queremos ser, na cultura atual é assim. Você não pode reclamar da dor, tem que aguentá-la calada pois o povo que agride não quer sentir-se culpado pela agressão que fez o outro sofrer.

Não tenho nada contra quem luta contra o abuso sexual, o estupro, mas vamos ser sinceros, têm uma pá de gente para defender com unhas e dentes o direito dessas pessoas. Agora o direito dos que nascem em condições horríveis e são considerados feios, podres e que nunca poderão de relacionar com quem gosta, quem briga pela saúde mental dessas pessoas, absolutamente ninguém e quando você expõe isso, é capaz de vir 10 carinhas aqui dizer que o errado sou eu e que só as pessoas estupradas que é que sofrem problemas de ordem psicológicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *