Amizade não existe

Você que é novo e heterossexual pode imaginar que realmente a amizade duradoura exista e seja real em nome do amor. Mas isso é mentira. A amizade não existe, o que existe é o utilitarismo das suas aptidões e sua sexualidade.

Como disse uma espiritualista que passou por uma experiência de quase morte e relatou isso num canal do Youtube, a vida é uma questão de troca, ela afirmou isso dizendo que uma entidade superior havia lhe afirmado tal frase. Ou seja, para se ter aquilo que as pessoas chamam de amizade, é preciso dar algo em troca, mas o que? Eu respondo: sexo , alavanca financeira existencial.

O “sexo” não necessariamente seria você trocar fluídos corporais com o genital de outra pessoa mas sim ter uma presença capaz de alimentar essa esperança nos demais ao seu redor, seja pela beleza, pela masculinidade, feminilidade ou ambos. É conseguir alegrar as pessoas com a promessa psicológica hipotética de você poder satisfazê-la sexualmente em algum momento, gerando assim uma “simpatia”, isso ocorre até entre heterossexuais do mesmo sexo pois estar perto de uma pessoa funcional sexualmente é sinônimo de se ter um crescimento social exponencial, capaz de lhe atrair pessoas atraídas pela pessoa mais influente sexualmente e que por ventura possa servir como sobra descartada por ela em outros momentos. Isso pode ser inconsciente.

A “alavanca financeira existencial” é aquela onde a pessoa tem algo que é necessário para outras viverem melhor: dinheiro, talento técnico, posses e influência social. Você pode ser uma pessoa feia, sem sexo mas ser muito bom em aprender e ensinar matemática, logo as pessoas irão criar maneiras de chegarem a você para se beneficiarem dessa facilidade que você tem e nome que elas darão a isso é “fazer amizade”. Isso também pode ocorrer inconscientemente.
Se uma pessoa sente-se mais relaxada ao contar para você que ela teve uma familiar morto, sendo que você também já teve, ela está usando você como apoio ou alavanca existencial, a esse tipo de relação analgésica é dado o nome de “amizade”.

Se você não tem o “sexo” e nem “alavanca financeira existencial”, não terá “amigos”, no máximo você terá pessoas que se sentem culpadas pode você ser uma infeliz, ou seja, terão dó de você.

Eu ultimamente não tenho “sexo” e oculto a minha “alavanca financeira existencial” para os outros, resultado: acabei com meu Facebook pois ninguém mais me adicionava, tudo bem que eu tenho um fake secreto de mulher com um poder de “sexo” enorme, mas a minha conta na rede social já não tinha um “oi” de um “amigo” desde 2018 eu acho. Ontem eu limpei os mais de 200 contatos que eu tinha na minha agenda, gente que não falava comigo desde 2001, só sobram os contatos do jogado alemão que eu gosto para fim decorativo, e mais 5 profissionais e outros do SAMU e emergências, nada mais.

Sabendo-se disso, é possível saber exatamente como se deve ser para se ter muitos “amigos”: Primeiro, para se ter muitos amigos você precisa investir no seu poder de “sexo”: aparentar ser heterossexual, ter um corpo sexy, ser bonito, asseado, tesudo e de bem com a vida. Em segundo lugar você precisa passar a ideia de hipoteticamente ser a “alavanca financeira existencial” para os outros: deixar os outros saberem que você tem um carro, uma casa de praia e uma casa cheia de coisas interessantes. Os funkeiros parecem ter percebido isso de forma inconsciente para se saírem bem em cima disso. Já alguns mendigos verdadeiros (não esses noias de 20 anos que limpam vidros de carro) sem o efeito do “sexo” e nem a “alavanca financeira existencial” acabam ficando iguais a mim, totalmente indiferentes e invisíveis à sociedade.

Hoje em dia eu posso me orgulhar de não ter mais amizades ou vínculos afetivos com nada. Posso morrer, sumir que ninguém irá notar. O engraçado que tanta liberdade assim cansa, tem momentos que você quer se sentir exigido por alguém. Não sei o motivo, eu esses dias até pensei em virar Mormon, mas eu me imaginei sendo crente e vi que seria falsidade demais, eu iria vomitar.

Por eu entender tudo isso, eu acho a minha vida sem graça e por isso queria morrer. Não é porque eu esteja triste, mas sei lá, a minha vida não apresenta mais significado algum, eu nem sofro muito por isso, simplesmente eu me sinto uma pessoa com faculdade sendo forçada a fazer a primeira série do ano primário. Cansa! Me dá enjoo!

Agora se você acha que a amizade é um conjunto de valores éticos, com amor e afinidade, eu posso lhe garantir que você irá se estrepar muito na vida, você irá chorar muito por isso, viu?

1 thought on “Amizade não existe”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *