Suicídio

Sou a favor do suicídio sim

A minha vida perdeu o sentido pois eu odeio ser gay e gostar de heteros

Sou a favor do suicídio sim afinal quem sente a nossa dor somos nós mesmos e não os outros. Eu por exemplo sou malditamente homossexual e gosto exclusivamente de heterossexuais, a minha mãe é mulher da vida e vive uma vida oposta a minha. O Brilho da vida é o sexo, se não podemos fazer sexo com pessoas que nos agradam, então a vida se torna ainda pior do que já é. O sexo é um anestésico, o afeto também, sem essas duas desgraças a vida é pior do que já é pra alguém que é gay, negro e pobre.

Quando se é gay você é condenado ao ostracismo social: você não pode paquerar, você não é bem-vindo entre os “normais”, as pessoas que você gosta simplesmente lhe ignoram, lhe bloqueiam nas redes sociais e vivem as suas vidas felizes, elas não precisam de gays por perto delas.

As vezes eu gostaria que a possibilidade de Deus existir fosse real só para eu dar uma boa surra nele! Se ele existisse, chutá-lo de bicuda na cabeça não teria preço, seria muito bom ver Deus perder os dentes e sangrar, afinal se ele existisse, a culpa de algumas pessoas nascerem numa vida boa e outras nascerem numa vida ruim , com o corpo inadequado sofrendo seria acima dele!

 

Eu vejo vários homens que eu sonharia em ter uma relação afetiva com eles, não apenas sexo, mas todos eles me batem, me desprezam, no máximo me dizem que eles são homens e que não podem fazer nada, escarram no chão quando eu os olho e isso não vai mudar, afinal eu vivo essa situação a mais de 40 anos e ela nunca se alterou. Todos os dias eu sou obrigado a suprimir, engolir e dissimular o meu instinto sexual e afetivo, não posso gostar de ninguém, não posso fantasiar nada com ninguém, não posso ter uma intimidade sexual com ninguém. Mas as vagabundas que nascem com beiço fedendo a peixe podre no meio das pernas, a essas é reservada o reino glorioso do protecionismo machista.

 

Todas vezes quando eu estou sozinho comigo, bate no peito uma facada me dizendo: “ninguém gosta de você”, “ninguém que você gosta lhe quer”. E pior que é verdade. Em todos esses anos de vida eu nunca tive alguém, também ninguém veio atrás de mim, sabe quando você olha feliz pra alguém porque você gosta? Pois é, olhar eu até olhei, mas do outro lado eu nunca fui correspondido. Não foram uma, duas, três ou quinze vezes que eu não fui correspondido, foi sempre. O desprezo vitalício e eterno sempre foram a minha prisão nesse mundo onde só uma CASTA filha da puta pode ser feliz.

Graças a isso, eu não tenho vontade de estudar pois sei que na faculdade existirá um filho da puta homofóbico que eu irei ficar olhando e dentro de uma semana estarei apaixonado por ele, no meu emprego não sinto vontade de crescer pois o meu emocional está totalmente destruído, corroído e arrasado, na verdade eu não queria crescer, eu queria ser gente normal, poder gostar e ser gostado. Alias, no meu emprego eu quando eu tento esboçar alguma coisa para crescer, eu sou lindamente boicotado, ninguém quer ideia com homossexual a não ser que ele tenha seiscentas faculdades e aceite trabalhar como se não tivesse nem o colegial.

Sendo assim eu sou uma pessoa morta, morta em vida, só uso o corpo porque se livrar dele dói e trás complicações. O meu corpo e minha vida são uma prisão perpétua, eternamente preso ao racismo, ao desprezo, à homofobia e a não querencia por parte de todos. Eu vivo uma vida morta, quando eu gosto de um homem a minha mãe com todo sorriso sarcástico diz: IHHH! ESSE HOMEM NÃO GOSTA DE VIADO NÃO VIU, ELE NÃO GOSTA! DESISTE!

Então para que viver, pra que fingir que se esta vivo quando de fato se está morto?
Já tentei buscar explicações religiosas para a minha desgraça particular mas as religiões se revezam em mentiras, ninguém se entende sobre que merda aconteceu comigo, ninguém prova nada, só fico mais iludido e mais triste pois fala-se que todo mundo viu espírito, santo, lobisomem, disco voador, deus, diabo mas eu mesmo nunca vi nenhuma dessas desgraças e quem diz ter visto se contradiz com outros que também dizem ter visto, então dá na mesma merda.

Eu não mato ninguém, não mato animais nem os maltrato sou vegetariano, enquanto isso, Suzane von Richthofen tem namorado, proposta de casamento e tudo mais, e eu? Eu não tenho bosta nenhuma, eu só tenho o dever de trabalhar e sustentar a mãe puta, mais nada.

Por isso eu sou a favor de tirar a minha vida com UM TIRO NA MINHA TÊMPORA ou de alguma forma rápida e sem sequelas.  Pra mim é ideal morrer enquanto ainda posso trabalhar, pois ao contrário da minha mãe, eu não posso dar o rabo na velhice para me sustentar, nem posso me juntar com um macho para viver, afinal eu sou um repelente de machos ambulante.

Quando queremos nos matar, as pessoas só sabem dar conselhos frívolos como: você precisa um psicólogo, você precisa gostar de si mesmo, você precisa se aceitar. Ora bolas! Se eu tivesse buceta, peitos, fosse loira e novinha, eu duvido muito que eu precisasse toda essa lavagem cerebral de autoestima artificial para eu me gostar e atrair machos que me dessem um abraço ou mesmo que transassem comigo com gosto, gana e vontade.
Esse papinho de se gostar é só pra gente feia, rejeitada e podre como eu. Por acaso o fato de eu me aceitar vai saciar a minha vontade de namorar um cara? NÃO!
Por acaso se eu me aceitar , a vontade de fazer sexo feito uma puta com um cara, vai passar?
Por acaso se eu me aceitar, todos os machos da seleção alemã de 2014 irão vir atras de mim me assediar sexualmente? Ora! É claro que não, né?!
Esse papo de se aceitar é coisa de psicólogo de porta de botequim, que acha que todo motivo de infelicidade do mundo é igual ao que ele tem e que projeta nos outros.
Não quero me aceitar, quero apenas transar com quem me dá vontade de transar, quero ser romântico com quem me corresponda. Quero dar afeto, mas não posso! Sou condenado a viver sozinho, vazio, morto com aparência de vivo.

As pessoas pensam que a Chechênia, o Irã e Arábia Saudita sejam os locais onde as pessoas mais detestam gays mas isso não é verdade, a verdade mesmo é que TODAS AS PESSOAS detestam gays, porem algumas escondem isso e outras não! Essas pessoas que detestam gay têm uma vida contemplada por Vênus e Afrodite, eles podem tudo no amor e no sexo, eles fazem músicas, filmes, motéis, prostíbulos para eles, não satisfeitos com a exuberância sexual deles, eles querem massacrar a reles sexualidade gay. É por isso que eu quero morrer!

Então pra que me serve viver se a falta de uma vida sexual e afetiva plena me tira a vontade de fazer todas as outras coisas? Essas porras que dão conselhos sabem por exemplo o que é a piramide MASLOW?

Se não sabem, deveriam saber antes de saírem por ai dando palpites!
A felicidade começa com a base da pirâmide Maslow onde o sexo vem antes da estima por ser uma necessidade instintiva biológica. Mas enfim, viado não tem isso não é? Viado só nasceu pra ser PET de mulher e mais nada.

A minha vida perdeu o sentido

A minha vida realmente perdeu o sentido, eu vivo apenas de obrigações, trabalho porque preciso pagar minhas contas e não morar rua, como porque se não eu consigo trabalhar, durmo porque se não eu não consigo acordar para comer e ficar em pé. Assim é minha vida, essa coisa de namorar, abraçar, paquerar, ou mesmo fazer sexo, comigo isso não existe. Eu olho as pessoas, os prédios, os carros e a vida delas, elas tem maridos, esposas, filhos e por isso sentem um sentido na vida, eu não, só vivo em função das contas que eu tenho para pagar. Não adianta eu reclamar, não adianta eu chorar, não adianta eu pedir ajuda, nada faz mudar essa desgraça a não ser a morte.

 

A indiferença de quem morre

Segundo algumas pessoas que tiveram EQM (experiencia de quase morte) quando saímos desse corpo de carne maldito e aprisionador, não temos mais sentimentos por ninguém que seja adulto, pode ser a pessoa mais significativa que for para nós, não nos importamos com ela. Imagine então eu poder morrer e ver todos esses rapazes bonitinhos filhos de uma puta que fizeram a minha vida um verdadeiro vale de lágrimas do inferno, eu os olharia com total indiferença, mesmo que eles fossem másculos, atraentes, bonitos, carismáticos e cheios de mulheres pretendentes, eu fora do meu corpo na experiencia de morte, se for real, ficaria totalmente blindado contra os encantos malditos e sexuais que esses homens exercem sobre nós que somos gays. Finalmente eu me veria livre dessa vontade amaldiçoada que meu corpo tem de ter afeto e sexo com outros homens. Quem diz que teve uma experiência de quase morte, conta que é muito bom estar num mundo que parece um sonho onde todas as pessoas que você gostou na terra não significam nada para você, por mais que elas exercessem algum poder de atração ou afeto sobre você, você fica indiferente e as vezes até esquece quem é aquela desgraça. Eu então seria imune a qualquer heterossexual.

Formas de se suicidar e dar um fim à essa vida podre

Eu já pensei em várias formas de me matar, a que vem mais à minha mente é do tiro na cabeça: pegar uma arma e queimar literalmente o motivo do meu sofrimento: o meu cérebro! Porem temos alguns problema com essa forma de se matar: ela pode falhar e você alem de homossexual, vai ficar sequelado dependendo de pessoas que vão transar na

sua frente enquanto você fica numa cadeira de rodas sem poder dizer nada.
Também tem o perigo de um policial lhe pegar na rua e lhe prender por achar que você iria usar a arma para assaltar alguém ou praticar algum crime. Por isso eu já pensei em me enformar, porem quando eu tento me informar, nos últimos segundos eu não aguento mais e desisto. Eu morro de medo de ficar mais sequelado do que eu já sou com

essa amaldiçoada situação fatídica minha.
Outra forma de se matar que eu já pensei é através da ingestão de venenos como: arsênico, cianeto, aconite, dimetil mercúrio, hemlock, belladonna, polônio, mercúrio e toxina botulínica porem muito desses venenos mata por asfixia, você tenta respirar mas não consegue mais e fica agonizando sem poder fazer nada. Outros demoram meses para lhe matar. Ou seja, você poderá ter um sofrimento para sair desse lixo de vida, mas será que a nossa vida já não é mais dolorosa do que 5 minutos sufocamento? Pense naquele rapazinho bonito que você amava na escola, na faculdade ou na TV, lembre que ele te olhava com cara feia, tinha nojo de você enquanto não poupava elogios às suas amigas, lembre do dia que você se declarou a ele e foi tratado feito um pedófilo, um assassino! Viver lembrando e sentindo isso por 45 anos não é mais doloroso do que ficar 5 minutos tendo asfixia? Eu acho que sim mas eu nunca tive coragem, como eu disse antes, eu morro de medo de piorar a situação do meu corpo e ainda não resolver o maldito problema de gostar de heterossexuais.

 

É por isso que eu QUERO MORRER, EU QUERO MORRER!
Eu preciso morrer e defendo do direito de todas as pessoas com dores absurdas de escolherem o momento de sua morte. Morrer deveria ser um direito!

O que poderíamos fazer então? Esperar ter bastante ódio e depois nos masturbar bastante, pronto, isso alivia bastante a vontade de se matar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *