Terapia de vidas passadas é uma bosta , enganação do caralho

Eu sempre tentei entender essa minha vida de homossexual, cheia de desprezo em doses cavalares por parte de quem eu amava, para vocês entenderem a desgraça que é a minha vida, com quarenta e poucos anos virgem eu ainda sou virgem, nunca nem se quer peguei na mão ou abracei algum homem que eu gostasse, quanto mais outras coisas. Ainda por cima sou daqueles gays que só gostam de heterossexuais e ainda por cima minha mãe é mulher da vida, parece até um deboche da vida para com a minha cara já tão pisoteada.

Eu já conhecia um pouco o espiritismo e com um tempo eu comecei a ver que as suas explicações eram arcaicas e estúpidas demais para alguém com o mínimo de inteligencia. O espiritismo é apenas uma religião, por mais que digam que é “ciência”, que faz tudo o que as religiões evangélicas homofóbicas fazem: idolatram Jesus, acreditam em purgatório(umbral) e coloca a sua sexualidade como algo irregular que precisa ser aperfeiçoada, a maior prova disso é que os maiores líderes espíritas homossexuais renegavam a sua sexualidade pra fazer caridade, ou seja, uma copia mal feita da preconização do sofrimento do  judaico-cristianismo.

Eu eu fui alem, fui tentar buscar as origens dessa minha vida tão atrasada, podre e ostracista que a vagabunda da minha mãe me fez o favor de dar, em bases fora do espiritismo, então eu comecei a ver aqueles vídeos idiotas do canal Bio onde existia uma espécie de “Caçadores de vidas passadas”, um programa que mostrava um senhor que hipnotizava as pessoas para faze-las se lembrar de uma suposta vida passada e aí uma equipe de TV procurava pistas, documentos e provas para saber se realmente a vida passada relatada existiu mesmo. É claro que eles selecionavam só os melhores casos onde aparentemente as provas existiam, ou sabe-se lá se não eram atores, não é?

Então, feito um trouxa, eu fiquei vendo todos os episódios do tal programa de caça à vidas passadas exibido pelo canal Bio, achei espetacular as pessoas sobre uma leve hipnose darem dicas de uma vida passada próxima e aí uma equipe sair investigando e no fim constatar-se que realmente os detalhes fornecidos batiam com a realidade!
Fiquei curioso pois eu queria ver que desgraça eu teria sido na maldita vida passada, isso com a esperança de saber se alguma coisa lá me influenciou a ter uma vida tão infeliz de nascer viado, na casa de uma mãe puta e ser virgem pra sempre por gostar apenas de rapazes heterossexuais na maioria das vezes chamativos.

Conheci então os livros dos papas no assunto sobre hipnose para vidas passadas, no caso, o doutor em psiquiatria Brian Weiss  e outro doutor também em psiquiatria chamado Michal Newton, falecido em 2016. Devorei os livros dos dois em poucos dias, eu estava afoito por respostas para a minha amaldiçoada de homossexual que só gosta de heterossexuais do inferno. Até encontrei nesses livros casos de homossexuais, mas todos sempre comuns, nenhum homossexual que gostasse só de rapazes héteros, parece que essa praga desgraçada só aconteceu comigo e mais ninguém nessa merda de vida!

Então eu cansei dos livros, decidi ir para a prática: fui na internet e saí procurando o termo
“terapeuta de vidas passadas”, pensei que não ia achar ninguém mas eu achei um monte de mulher querendo ganhar dinheiro com isso, era o que mais tinha no Google, eu fiquei ansioso, queria fazer a tal terapia o mais rápido possível para entender se alguma merda no meu suposto passado tinha cagado a minha vida atual. Anotei o telefone de um monte de gente mas quando eu ligava para obter maiores informações, era um circo de horrores, parecia que eu estava ligando para uma espelunca, uma boca de porco:
A primeira mulher me atendeu com um barulho na boca de quem estava comendo uma coxa de galinha engordurada e nem se dava ao trabalho de disfarçar, ainda por cima tinha um sotaque chinês, a mulher fazia anúncios num site chamado somostodosum.ig.com.br e os seus textos eram lindos, mas o seu atendimento telefônico me deu medo, nunca mais liguei, elem de tudo isso, ela atendia ao telefone como ar de pessoa que dizia assim: “vai querer ou não? se não quiser, sai daqui pois eu preciso fazer coisa mais urgente”.
Depois liguei para uma outra, esta usava até um site próprio na internet que convencia bastante, demorou pra me atender no telefone e quando atendeu estava parecendo que estava apertada para mijar, até me pediu desculpas pois tinha que se ausentar da linha rápido. Cruzes!
Depois achei um japonês que parecia sério mas o seu tratamento era caro demais, desisti dele também.
Aí então eu encontrei uma mulher que tinha um site horroroso, no site tinha até Telegram dela, liguei pra ela, ela tinha voz de psicopata que me lembrava até uma superior minha no meu trabalho que também é sociopata, devido à minha ansiedade eu marquei a consulta (anamnese) e sessão para o dia seguinte mesmo, eu queria desvendar a minha maldita vida a qualquer custo! Porra! Ser viado é a pior coisa do cosmos! Do hiperespaço até!
Você só serve pros outros te explorar e quem você gosta te despreza de forma solene SEMPREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE! Não existe exceção!

Eu nem dormi direito, eu já estava me imaginando sendo aquelas mulheres do canal Bio que descobriam o que foram na vida passada, eu estava muito feliz por achar que resolveria os meus problemas e assim poderia ajudar todas as pessoas do mundo também, fiquei feito um PASPALHO achando que finalmente a vida iria parar de me sacanear e como agradecimento eu iria tentar ajudar outras pessoas. Então quando o dia chegou, fiquei com um medo estranho no peito, fiquei com medo de várias coisas, inclusive da mulher me dar um cacete na cabeça e me assaltar ou sei lá, mandar algum heterossexual me bater e tomar todo meu dinheiro e roubar o meu celular. Mesmo assim eu me vesti e fui, quando eu entrei no ônibus que iria pro consultório da mulher, eu senti um nervosismo no peito, um medo de algo ruim acontecer, a ultima vez que eu tive essa sensação, foi na Vila Marina quando eu tinha 21 anos e que eu acabei sendo linchado por 14 caras com bicudas na cabeça devido à minha linda e divina orientação sexual nada problemática…  Por isso sempre que eu tenho essa sensação de medo no peito eu prefiro não insistir. Mesmo assim eu acabei indo, já estava no ônibus mesmo! Fiquei muito nervoso pelo o que me aconteceria naquela merda.

Cheguei ao consultório da tal terapeuta, ela chegou por ultimo (é normal no Brasil , quando se é viado, marcar com alguém e a pessoa chegar horas atrasada, afinal viado não inspira boa vontade em ninguém), fomos para  sala, me sentei numa poltrona super confortável e me abri com ela, falei todas as merdas da minha vida. Contei a ela como é uma merda gostar de todos os caras do mundo e nenhum se quer lhe dar nenhum tipo de atenção. Ela então disse que a minha energia estava boa e que ela iria finalmente ver o que eu havia aprontado no passado. Essa ultima frase que ela disse me deixou tão animado.

Antes de termos a sessão, a terapeuta havia me contado que um de seus clientes, heterossexual também tinha um problema com a sua sexualidade, segundo ela, esse cliente tinha ódio pois em todos os locais que ele ia, os homossexuais davam em cima dele , em todo local que ele ia os gay o olhavam com desejo e isso lhe dava um ódio enorme(bem o perfil dos amaldiçoados que eu gosto), ela disse que esse paciente também não podia sentir água de sabão cair no seu corpo atrás dele, ele sentia pavor e nojo disso, me parece que no fim o problema dele era um trauma sexual, um estupro, não me lembro mais.

Então a terapeuta  me mandou relaxar, disse que o meu braço estaria duro e pesado como uma pedra e que minhas pálpebras estariam seladas como se estivessem coladas, respiramos bastante, fizemos contagem regressiva, a luz foi apagada e um som de gente mijando em um rio começou a tomar o ambiente, era o rádio toca-cd dela tocando sons da natureza para eu relaxar, pois bem, o meu braço coçou e eu consegui coçar normalmente, a mulher ficou espantada pois os meus braços não estavam feito uma pedra, coisa nenhuma! Então ela sugeriu um relaxamento que segundo ela seria infalível, fiquei animado de novo e fiz, o relaxamento consistia em eu respirar como se fosse uma pessoa correndo e subindo uma montanha, aquilo me cansou e não deu em nada também.
Então ela refez a contagem regressiva , refizemos tudo novamente, ela me perguntava se eu via algo, eu falava que apenas via as minhas pálpebras fechadas e mais nada. Notei que aos poucos a mulher já estava ficando irritada comigo. Ela então começou a apelar para a minha imaginação, mandou eu imaginar subindo uma montanha com pedrinhas no chão, ela mandou eu imaginar e não criticar nada que por ventura viesse à minha mente. Então ela me perguntou o que eu via. Eu então a questionei: você quer saber o que eu estou vendo ou o que eu estou imaginando?
A mulher ficou PUTA DA VIDA ao ouvir a palavra “imaginando”!  Ela me disse que eu era muito resistente e que aquilo não era imaginação nada e que eu não deveria censurar ou criticar, ela dizia que aquilo eu estava vendo!
Como eu estava no consultório da mulher, eu não quis iniciar uma discussão ali para revidar o sermão dela , simplesmente comecei chamar a minha imaginação de VISÃO, só para não vê-la furiosa novamente. Então a terapeuta já cansada de me repreender, começou a me mandar falar tudo o que “aparecia” na minha mente e que eu não deveria censurar nada, tipo exame psicotécnico , ela disse que isso mostraria detalhes da minha vida passada, então eu segui literalmente a orientação dela e comecei a falar a ela tudo que me vinha a mente sem censurar e as palavras que vinham eram: casas bahia, Microsoft, Madonna, CD, DVD, Windows, Vale do Anhagabaú, carro, prédio, Praça Ramos, cubo, papelaria, globo do mundo, árvore, trólebus …  A mulher surtou e mandou eu parar, ela deu a entender que aquilo era obra de espíritos obsessores! Porra! A mulher mandou eu dizer o que vinha na minha cabeça e eu disse, CARALHO!

Então, eu percebi que se eu continuasse não vendo ou imaginando nada coerente, a mulher ficaria ainda mais nervosa e iria parecer que eu era aqueles céticos que tinham prazer em desmascarar  as pessoas , para não criar um clima mais pesado do que já estava, fizemos tudo de novo e eu decidi mentir. Ela começou a perguntar se eu ouvia o meu mentor espiritual, informei que não mas eu estava “vendo” a Inglaterra.  Então nos aprofundamos:
Contei a ela que eu estava vendo(imaginando) a Inglaterra bem naquele lugar onde fica o relógio do Big Ben, ali havia um ponto de ônibus e um daqueles ônibus de dois andares vermelho parado(bela e original a imaginação a minha), então “vi” um homem vestido com sobretudo, tipo aqueles mafiosos do filme “Os Intocáveis”, fiquei olhando para o homem , os seus sapatos me atraiam e sua presença também, notava que ele me atraia mas eu não via o seu rosto.
A terapeuta mandou eu ver o rosto dele, não vi, daí, do nada ela disse que esse home ERA EU! Ok, havia decidido não contrariar a doida.
Então a terapeuta de vidas passadas me falou que eu era esse cara e me perguntou qual era o meu nome. Eu informei que meu nome era Otávio, um nome bem estranho para  um inglês, não é?
Então ela mandou eu ver o que mais o que eu fazia, comecei a “ver” Otávio entrar no ônibus ir para os fundos atrás de uma moça. Ela então me perguntou com quem eu morava, eu disse que morava com a minha tia.
Ela me perguntou se eu era casado, eu respondi que como Otávio eu não era casado pois eu queria todas as mulheres que eu via, Aff! Justo eu, um viado babaca e virgem que nunca teve nem um selinho na  vida, inventando uma estória dessas para não desagradar uma doida.
Depois ela mandou eu falar mais de Otávio, como ele havia morrido, comecei então “ver” a imagem de perfil de Hitler, então um avião bombardeou  onde eu estava, fiquei todo queimado e enfaixado feito uma múmia , aí eu morri.

A sessão terminou, conversamos, a mulher ficou mais calma graças ao meu esforço em inventar aquela história toda para não desagradá-la. Dei o dinheiro dela e fomos até a porta nos despedindo. Fui embora e nunca mais voltei, afinal, se fosse para eu ficar brincando de imaginar situações, eu não iria a um terapeuta, eu ficaria em casa mesmo e seria de graça, afinal desde pequeno eu adoro inventar estórias para eu poder brincar sozinho.

Resumindo: nem todas as pessoas entram em transe, não vi bosta de vida passada alguma e meus problemas continuam firmes e fortes, cada dia só penso em me matar por nunca ser uma pessoa capaz sexualmente e afetivamente. Me sinto uma criança! Como eu queria ver o sorriso do cara que eu gosto ou de um que me fizesse gostar dele e saber que eu o deixo feliz. Mas isso é só para as quengas malditas que têm buceta, para elas sexo e afeto é mato, tem de monte. Pra mim, só sobra o desprezo dos machos delas. Já que eu sou bom de imaginação, então eu fico imaginando que o cara que eu gosto, gosta de mim em outra dimensão paralela mesmo enquanto eu espero a morte por um fim nessa minha merda de vida.

3 thoughts on “Terapia de vidas passadas é uma bosta , enganação do caralho”

  1. Entao a mulher do todosomosum e uma boa profissional sim, ela so tem alguns problemas na vida dela e pessoas que gostam de montar pra ver se ganham alguma coisa de graça entao ela e super direta msm. Eu ja acho que ela pode te ajudar a entender algumas questões sim…

  2. Imaginação vem do inconsciente, é o que terapeutas dizem. Então nada do que você viu foi inútil. Pode perceber que a história que vc ‘inventou’ bate com a sua. Você se sente o oposto dele. Talvez um meio de aprender algumas lições na vida.

  3. Procure no site da ABTVP (Associação brasileira de terapia de vidas passadas) por um profissional cadastrado. Infelizmente nesse meio há muitos charlatões, mas não desista por uma experiência ruim, muitas pessoas são beneficiadas por esse tipo de terapia, inclusive eu. Espero que vc tenha um pouquinho de esperança de se entender melhor e fazer as pazes com sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *