Mulheres são tratadas como se fossem cristal e gays como se fossem esterco

Vivemos em um mundo machista afinal de contas o mundo atual capitalista é dominado por homens heterossexuais e seus valores: a maioria dos empresários são homens e heterossexuais, a maioria dos empregos são para homens, enfim, o homem é por enquanto o sexo social dominante no planeta por impor os seus valores e regras.  Como vivemos então no mundo esculpido pelo sexo masculino devemos, para entende-lo, olharmos com os olhos dos seus criadores, os homens heterossexuais:
a mulher deve ser vista como fraca, afinal assim, eu tenho uma desculpa perfeita para mantê-la em casa para livrá-la das investidas sexuais dos outros machos do meu emprego, como se em casa a mulher também não pudesse trair; como eu sendo homem quero vender a ideia da mulher fraca para mante-la longe , então eu começo a criar recompensas morais para que a mulher se sinta bem fora das posições de comando que poderiam tomar o meu emprego, então eu invento leis para ampará-la mais do que os outros cidadãos, invento a cultura do ‘homem cordial’ que deve agradar sempre a mulher criando condições que tornam a mulher fidelizada à ideia de  ser um ser especial que só veio ao mundo para ser agradada e colher rosas, isso é um grande sedativo e serve como combustível para o feminismo que as vezes chega ao oposto para rivalizar com o homem.

Tendo-se em mente essa visão, a mulher é um ser fofinho, sempre bondoso incapaz de matar, mentir e fazer o mal, ao mesmo tempo, essa imagem de santa é apoiada pois o homem heterossexual tem a fantasia de penetrar o sagrado, adentrar onde ninguém entra, romper  o proibido, em outras palavras, bagunçar o que está organizado, tornando assim muito excitante a ele a figura da mulher numa torre de marfim, o ‘respeito’ à mulher nada mais é que preparativo preliminar para exercer o prazer subversivo máximo que é transformar o sagrado em profano com as próprias mãos. Por isso, quanto mais improvável moralmente uma mulher para um homem, mais excitante é o envolvimento com ela, que o diga os estupradores, amantes do adultério e os pegadores de mãe de amigos…

Por tudo isso, a mulher quando vai a um lugar é tratada melhor, com sorrisos, educação e uma simpatia irritante por parte dos homens. Na verdade existem pessoas de mau caráter em todos os sexos e sexualidades, mas é quase um crime de racismo hoje em dia dizer que uma mulher ou um gay pode ser sim mau caráter. Por que? Porque o mau-caratismo do homem é mais físico, ele gosta por sua natureza de infringir dor ao outros através de danos físicos: roubos, violência física, e atos mais diretos, já a mulher não, quando a mulher é mau-caráter ela tenta fazer o mal com ações psicológicas que fazem o outro se sentir culpado, sem respostas ou forçado a responder aquilo que não quer, enquanto o homem tende ir pra porrada, a mulher tenta lhe fazer cair em armadilhas psicológicas: coisas que você dizendo(perguntas capciosas ou retórica para lhe puxar a culpa)  se volta contra você mesmo ou então exploram o machismo imperante na sociedade para se fazerem de vítima e com isso, colocarem todo cidadão contra você, você pode reparar: se uma mulher ruim ou doida começar a lhe bater ou lhe roubar no meio da rua e você instintivamente revidar, automaticamente , por mais que você tenha sido provocado e ferido em sua dignidade, a população ficará a favor da mulher: ah, ela deu um tiro na sua perna, mas não precisava ter dado um soco nela pois ela é mulher cara!

Esse padrão de machismo latino que beneficia a própria mulher pro ser supostamente santa e fraca que está se voltando contra os homens heterossexuais em pequenos níveis, acaba tornando a mulher preferencial em tudo e seu antagonismo para os homens heterossexuais é personificado pelo homem gay. O homem gay na mente do homem hetero é aquele que tenta ser a falsificação daquilo que ele mais gosta, a mulher. A mulher sabendo disso, quando tem um rival homossexual, explora com vigor essa característica social. Eu quando estudava no primário da minha escola sabia bem o que é isso, quando eu divergia do ponto de vista de alguma colega da classe, logo os brutamontes zé-droguinhas daqueles ‘meninos do fundão da sala’ vinham pra cima de mim, eles notavam a minha fraqueza afinal eles me chamavam pra briga e eu tentava argumentar sobre o motivo da minha divergência com uma menina, parece que quanto mais você tenta se explicar, mais a mulecada hetero se sente a vontade de lhe ameaçar e bater mesmo! No final, eu tinha que ou dar o meu lanche para os selvagens que queriam me bater ou dar algum material escolar meu para para acalentar a menina que se sentia ofendida por mim por eu discordar dela, mesmo eu fazendo todas essas concessões, ainda me ameaçavam me catar na saída do colégio, um clássico da violência juvenil!

Por isso tudo, uma mulher quando cai, você tem obrigação de ir ajudá-la, se for um homem não, se for um gay ou travesti então, você tem que morrer de rir se possível, a sociedade quer que seja assim!
Se a mulher quebra uma unha, tem que todos os machos abrirem a porta do carro deles para levá-la para um centro de tratamentos intensivos no hospital Albert Einstein, agora se você for um homossexual com trejeitos nítidos da sua personalidade sexual, qualquer coisa que lhe aconteça, todo mundo acha motivo para risos, principalmente os homens mais homofóbicos: adolescentes e jovens atraentes. Nessas situações, por mais irônico que seja, quem é capaz de lhe ajudar é a mulher!

Eu disse irônico acima pois na minha vida toda de homossexual eu sempre tive inveja das mulheres, confesso! Afinal de contas eu tenho motivos para isso: elas sempre reclamam que ter um filho e administrar uma casa é muito difícil, como se isso não fosse opcional, mas elas nunca lembram que enquanto eu que sou gay e que gosta de macho de verdade, passou 55 dias dos namorados de forma solitária, virgem e vendo todos os caras que gostou tendo seus namoros, mulheres e filhos, elas eram disputadas, amadas, alvos de ciúmes, tratadas feito bibelôs de cristal por parte dos garanhões que as excitavam muita das vezes. Já eu, quem que vai ter ciúmes de mim? Quem é capaz de atravessar o oceano atlântico como eu fui, pra ficar perto de alguém que como eu é homossexual? Eu nunca vi!
Se eu cair na rua ou tiver uma dor qualquer num lugar que só tem homem jovem, quem vai ligar?
Enquanto a minha vida toda no colégio eu tinha que dia sim, dia não fugir para não ser apanhado na saída, vocês mulheres se machucavam com queda de uma flor no pé, o aparecimento de um rato ou barata no caminho, uma ou duas desilusões amorosas. Pois é, vocês mulheres delicadinhas ainda podem ter um problema amoroso, uma desilusão amorosa, mas eu não, todo amor pra mim é platônico, do zé droguinha mais fodido e falido da favela até o jogador milionário que eu gostei na Alemanha, todos me negaram, todos ignoraram majestosamente.

E olha que gay quando é ignorado por homem que gosta é sorte, na maioria das vezes a gente apanha mesmo! Mulher solteira por acaso sabe o que é apanhar exclusivamente porque é mulher e gosta de um homem solteiro? Mulher sabe o que é levar bicuda na cabeça na saída da escola e nos locais só porque o cara que ela gosta descobriu o seu interesse? Pois é, mesmo assim, a maioria das mulheres vão achar que hoje em dia não existe preconceito e que ser homossexual é ‘maior legal’ ! Pois é amiga, nasce viado então e veja aquele carinha que você mais gosta, limpando a sola suja do sapato na sua cara enquanto lhe chuta, rindo com os colegas por estar tirando sangue da sua cabeça por nada relevante, é isso que é ser gay meu amor, enquanto vocês mulheres reclamam que não tem um homem fiel, que fale inglês, que seja bom mas que seja cafajeste na cama, que seja bonito, que seja responsável, que seja formado, que seja honesto, que goste de ler, que tenha um carro, que seja carinhos; nós gays reclamamos não termos nada disso e ainda por cima sermos perseguidos para sermos espancados na rua como forma de entretenimento nas ruas. Qual homem não acha divertido ver um homossexual na rua apanhando aos gritos de “– VIRA HOMEM RAPAZ!” ?
Pois é, mulher não sabe o que é isso não, mas enfim, a vida delas é que é pior, não é?  Ok…

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *