A espiritualidade que não presta pra ajudar ninguém

Para eu não ficar mais triste do que eu já sou eu fico pela internet procurando vídeos, textos e tudo mais que possa explicar a desgraça de eu ter nascido homossexual , feio e pobre num planeta que ninguém gosta de gente exatamente assim, ainda por cima, para agravar a situação, nasci em um lar onde a mãe era mulher da vida. Bom, nada contra a minha progenitora ser prostituta, o problema é eu ser viado, todos os homens que eu admiro e me excito por eles serem exclusivamente heterossexuais e por consequência eu não ter ninguém, enquanto a minha mãe tem quem quer. Entende o drama do contraste? É tipo você ser trombadinha, viciado e estuprador dentro de uma família onde todos são policiais ou juízes!

Pois bem, eu poderia ter nascido falido sexualmente e adotado por uma freira ou algo do tipo, alguém assexuado, talvez assim o meu sofrimento seria melhor, mas não, a vida parece querer me antagonizar e me humilhar de todas as formas. Por isso vira e mexe eu ainda perco o meu tempo procurando pessoas, canais e vídeos que dizem existir a vida depois da morte. Sabe aqueles canais onde o dono diz conversar com Deus, com o diabo e com mais um punhado de espíritos? Pois é, eu entro nesses canais com a esperança de , se existir , de repente uma boa alma que tenha pena de mim, decida contar os possíveis bastidores da tal espiritualidade que ocasionaram eu nascer com talento extremo para ser desprezado até pela bactéria da bosta do cavalo do bandido. É… Tá na moda dizer que tudo que a gente vive aqui no planeta terra foi a gente que pediu pra ter… Até mesmo quando tomamos no rabo. Então quem sabe, alguém lá no além ou no quinto dos infernos decidisse me dar detalhes da minha burrice em ter, hipoteticamente, pedir pra ser viado, rejeitado ao extremo e literalmente filho de uma puta,  o que eu ganharia pedindo pra ser sacaneado tanto assim? Uma medalha de honra ao mérito espiritual? Um iphone espiritual? Uma casa? Um similar ao óscar de melhor ator coadjuvante? Sim , porque até hoje eu sempre fui o segundo, o coadjuvante, aquele time de futebol que chega na final da copa do mundo e fica com a segunda colocação. Isso nas melhores situações, né?

Bom, foi aí que eu encontrei um canal no Youtube onde uma professora de artes cênicas misturava questões de macumbaria com arte, vlogger e vidas passadas, a mulher dizia conhecer a vida passada de todo mundo que vivia ao redor dela, só faltava reconhecer quem foram até as formigas que passam no meio da rua dela, eu fiquei meio desconfiado, afinal, se a mulher é atriz, poderia estar interpretando e mentindo na maior cara de pau, quando o assunto é teoria espiritual o povo se supera no Brasil! Mas é aquilo, quem tá fossa nadando na bosta sou eu, então quem deveria arriscar era eu, “paguei pra ver” , fiquei vendo os vídeos dessa atriz desconhecida, ela trazia algumas pessoas que estudaram artes cênicas com ela para dar depoimentos sobre o que eles foram na vida passada dela e o que eles são hoje em dia. Imagine a cena: você tem uma amiga doida que é também sua professora e que lhe diz que você foi tio, pai, amante, papagaio, irmão dela em uma outra suposta vida passada, aí ela faz uns exercícios de relaxamento(hipnose) e tal e você começa a “lembrar” que realmente isso que ela havia revelado sobre você, foi verdade…

Vi os videos da tal atriz e comecei a ficar curioso, afinal o temas relacionados à vidas passadas me desperta curiosidade investigativa, talvez pelos motivos que eu citei mais acima…  Teve uma vez até que eu fiz uma sessão de terapia passadas com uma outra pessoa mas não vi nada e a mulher ainda ficou brava comigo.
Então, alimentando mais uma vez esperanças no ovo que a bunda da galinha iria colocar, mandei um e-mail para essa atriz informando o que me incomodava nessa vida, eu sabia que Youtuber com mais de 1000 acessos e ainda por cima atriz, ou não me responderia, ou me responderia de forma bem lacônica e de forma bem impessoal e educadamente distante. Mesmo assim, mantive as esperanças de algum bom espírito fofocar alguma coisa sobre mim no ouvido dela e me contar ou mesmo ver se eu fui parte da reencarnação passada dela. Dito e feito, recebi o e-mail de resposta dela bem estilo falsiane, vejam aí o print:

Sabe aquela mensagem toda elaborada que você manda quase chorando para alguém que você julga ser seu amigo e aí esse amigo lhe devolve um simples “OK” como resposta?
Foi mais ou menos assim que me senti ao ver esse e-mail, repare que a tal atriz foi mestre em escrever um texto bonito que não quer dizer absolutamente nada:
Ela diz que o meu erro é dar valor demais ao lado externo. Por acaso agora eu deveria me desligar do mundo e virar um autista? Embora vontade pra isso não me falte!
Quando eu vou dormir a noite e dentro do meu peito sente uma dor, um ostracismo por sentir que ninguém que eu goste e que eu queira formar uma vida adulta, gosta de mim, é algo externo.
Quando eu tenho uma necessidade natural de fazer sexo é algo externo!
Veja a sacanagem: toda espécie vertebrada que eu conheço sente necessidade de se relacionar com um igual, ou por questão puramente sexual, ou por questão afetiva, mas no caso do homossexual, ele deve ser evoluído: enquanto até meninos de 13 anos transam feio loucos com suas namoradas no Brasil, o viado como eu deve procurar coisas externas e reais mais grandiosas!
É… Eu pensava que a minha vontade sexual recalcada fosse algo real e interno, mas eu descobri que não é.
Se o sexo não é um valor real da vida dentro de mim, eu gostaria de saber como eu e todo mundo está vivo graças a ele…

Eu só sei que eu não perdi tempo, impulsivo do jeito eu que sou, eu respondi logo uma resposta mal criada mesmo, afinal, eu sou uma pessoa inquieta e autêntica, se a pessoa não sabe o que responde, é melhor então dizer que não sabe, ninguém é obrigado a saber tudo. Mas pra uma pessoa que vê espíritos, conversa com deuses e sabe a vida passada dos outros, eu achei essa resposta acima muito “pão com ovo” e respondi como é mostrado abaixo:

Me desculpem os leitores, mas esses anos todos de rejeição só serviram para me deixar mais rude e estúpido. Por conta de gente “espiritualizada” como essa moça é que eu fico cada dia mais ateu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *